, ,

Tudo o que você precisa saber sobre a vacina contra febre amarela (gestante não pode tomar!)

Nas últimas semanas, um dos assuntos mais comentados em nosso país tem sido a febre amarela. “Outra doença provocada por mosquito?”, todo mundo fala. Pois é, parece que estamos levando uma surra desses insetos, e mais uma vez nossa gente está tendo que lidar com um problema que dificilmente ocorreria em um país de primeiro mundo (acho muito triste, mas vamos em frente com o post!).

Para quem não sabe, a febre amarela pode ser fatal, e está preocupando novamente os médicos, autoridades de saúde e toda a população, pelo aumento do número de casos.  Ela se caracterizada por sintomas parecidos com os da gripe, e, principalmente, por febre alta e duradoura e icterícia (quando o rosto fica amarelo, por isso o nome da doença). Mas há um aspecto positivo nesse assunto: contra a febre amarela existe vacina, que tem quase 100% de eficácia.

Como a febre amarela é transmitida pela picada de alguns mosquitos, a incidência da doença varia nos diferentes estados brasileiros. Em São Paulo, por exemplo, houve uma epidemia de casos em 2009, quando várias cidades promoveram campanhas de vacinação e boa parte das pessoas foi imunizada.

Esse ano alguns municípios já estão iniciando novas campanhas, mas outros não. E tem muita gente em dúvida: será que a situação é realmente preocupante? Será que eu já devo proteger minha família? Para tirar essas dúvidas, a seguir você encontra mais informações sobre a vacina contra a febre amarela. Vem ver!

Quem deve ser vacinado?

Em primeiro lugar, é importante saber que a Organização Mundial de Saúde orienta que a vacina contra febre amarela, tomada uma única vez, possui eficácia para sempre no organismo do ser humano. Contudo, aqui no Brasil, por segurança, a recomendação do Ministério da Saúde ainda é tomar duas doses, sendo que a segunda deve ser tomada depois de dez anos da primeira. Resumindo: se você foi imunizado em 2007 ou depois, não é o caso de tomar novamente a vacina agora.

Se por outro lado você nunca foi vacinado, é importante se proteger, especialmente se for viajar para uma cidade em que os casos de febre amarela estejam acontecendo.

Já em relação à vacinação infantil, os pequenos devem ser vacinados a partir dos nove meses. Nesse caso, a recomendação é que a criança seja imunizada novamente aos quatro anos, por segurança (pois aos nove meses o bebê ainda pode ter alguns anticorpos no organismo recebidos da mãe, que prejudicam a ação da vacina).

E quem não deve receber a vacina de febre amarela?

Não podem receber a imunização pessoas com problemas de imunidade e gestantes, pois a vacina contra a febre amarela é feita com o vírus vivo. No primeiro caso, a recomendação é procurar um médico para avaliar se a imunização pode ser feita ou não, pois varia de acordo com o caso.

O meu bebê ainda não pode tomar vacina, como eu o protejo?

Caso seu filho ainda não tenha completado nove meses de idade, não se preocupe: se você foi vacinada antes da gestação, os anticorpos (inclusive os que atuam contra a febre amarela, que ainda estão “atualizados”) passam da placenta para o feto, durante a gravidez. Assim, seu bebê estará protegido também.

 

Outros cuidados importantes para proteger a família

Além da vacina, outros métodos contribuem para manter a família livre do risco da febre amarela. Como essa doença é transmitida por mosquitos, inclusive o Aedes aegypti (o mesmo transmissor da dengue e chikungunya), medidas para evitar a proliferação de insetos dentro (e fora) de casa devem ser mantidas, assim como o uso de proteção em locais em que haja maior incidência de mosquitos (como passeios em parques e sítios, por exemplo).

É fundamental conversar com o pediatra do seu filho, para saber quais os métodos que ele libera para o uso (como repelentes em loção do de tomada), pois para cada idade há uma indicação.